A Glória dos filhos de Deus – Pr. Cláudio Gouveia – 07/01/2018

,

A Escritura diz que, quando o homem pecou, ele foi destituído da glória de Deus – pois todos pecaram e carecem da glória de Deus (Rm 3.23). Hoje, porém, a glória tem sido restaurada aos filhos de Deus por causa da obra de Cristo. Vamos começar entendendo o que significa a palavra “glória” no grego. A palavra glória, no original grego, é doxa, que significa:

  1. No N.T., é sempre opinião positiva a respeito de alguém, que resulta em louvor, honra e glória.
  2. Esplendor, brilho, magnificência.
  3. Excelência, preeminência, dignidade, majestade.

Quando lemos a palavra “glória”, intuitivamente a associamos com a segunda e a terceira definição. Mas talvez, a primeira definição, é a mais importante, e nunca lhe tenha ocorrido tal entendimento. No N.T., glória é sempre a opinião positiva a respeito de alguém, que resulta em louvor, honra e glória. Quando o Senhor me concede da sua glória, Ele está afirmando a sua opinião positiva a meu respeito. O Senhor Jesus disse na oração sacerdotal que Ele nos transmitiu glória.

Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um como nós o somos. (Jo 17.22)

Vamos aplicar essa definição ao versículo. O Senhor estava dizendo: “Eu lhes tenho transmitido a boa opinião que tu tens sobre mim, para que sejam um, como nós o somos”. Todos nós temos recebido a mesma opinião positiva que o Pai tinha a respeito de Jesus. Isso porque, glória é sempre uma opinião positiva a respeito de alguém.

Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus. (Rm 5.1-2)

O que é a esperança da glória? Baseado na definição, podemos afirmar que é uma forte expectativa da boa opinião de Deus sobre nós. Não tem como construir uma vida cristã saudável sem esse entendimento!

Mesmo quando você falha, a sua posição é eterna, imutável, é para sempre segura. Ele tem uma boa opinião a nosso respeito.

Diga: Esta é a minha posição eterna diante de Deus! Agora, existe uma diferença entre posição e estado, vejamos:

 

  1. A diferença entre a posição e o estado

Precisamos, porém, entender que existe uma diferença entre posição e estado. O nosso estado muda todo dia, mas a nossa posição permanece para sempre a mesma.

Sua posição como justo, santo, inculpável e sua opinião positiva a seu respeito, que resulta em louvor e honra, nunca muda. Mas o seu estado muda. Às vezes, você se sente entusiasmado, outras vezes fica deprimido. Há momentos em que você fica nervoso, há outros em que você está de bom humor e cheio de alegria. Há dias em que você está generoso, outros em que você quer guardar tudo para si. Há dias de muita alegria e outros de imensa tristeza. Como você percebe, o seu estado é flutuante e transitório, mas a sua posição diante de Deus é permanente e eterna, ela não muda.

Sempre se avalie com base em sua posição, nunca com base em seu estado momentâneo. Nunca avalie a sua posição com base em seu estado. Mas sempre julgue o seu estado com base na sua posição. É normal pensarmos assim: “Hoje de manhã, eu tive impulsos ruins e quase agredi uma pessoa, agora Deus não tem uma opinião muito boa a meu respeito. Eu me deixei levar por aquela tentação, agora Deus não tem uma opinião positiva a meu respeito. Como posso agora servi-lo? Como vou liderar?”

Esta é uma situação muito comum, nós permitimos que o nosso estado afete a nossa percepção da posição. Mas, aos olhos de Deus, seu estado não pode alterar sua posição. É assim, porque a sua posição foi conquistada por Cristo, e não por você, consequentemente você não pode alterá-la. Permaneça na posição!

 

  1. Permaneça na posição

Se você deseja construir sua vida em Deus, é crucial entender essa diferença entre posição e estado. E nunca permitir que seu estado te faça pensar que sua posição mudou. Há um maravilhoso exemplo desse princípio no Velho Testamento. Quando o povo de Israel peregrinava no deserto, eles tiveram de passar pela terra de Moabe. Balaque, o rei de Moabe, estava com muito medo de Israel, então, contratou um profeta chamado Balaão para amaldiçoar o povo de Deus. Mas Deus não permitiu que Balaão amaldiçoasse o seu povo. E Balaão é obrigado a fazer algumas afirmações extraordinárias. Primeiro, ele diz que Deus já abençoou Israel e isso não pode ser revogado.

Eis que para abençoar recebi ordem; ele abençoou, não o posso revogar. Não viu iniquidade em Jacó, nem contemplou desventura em Israel; o SENHOR, seu Deus, está com ele, no meio dele se ouvem aclamações ao seu Rei. (Nm 23.20-21)

Ele te abençoou e ninguém ou nada pode tirar isso de você. Nem você mesmo, nos dias que seu estado estiver divergindo da sua posição. No verso 21, ele diz que o Senhor não viu iniquidade em Israel. Veja que afirmação espantosa! Esta é a nossa posição na aliança, pois ele disse: “Das suas iniquidades jamais me lembrarei” (Hb 10:17).  Deus não diz que não havia pecado em Israel, Ele apenas diz que não os vê. Não devemos nunca pensar que não há pecado em nós, mas devemos declarar ousadamente que o Senhor não vê iniquidade em Israel. Quando Ele nos olha, ele não vê pecado em nós. Sabe por que Deus não viu iniquidade em Israel? Porque no meio do acampamento estava o Tabernáculo, e nele havia o altar de bronze, que aponta para a cruz. E todos os dias o cordeiro era imolado nele, lembrando-nos do Senhor Jesus. A sua posição hoje é em Cristo. Estando em Cristo, quando Deus olha para você, Ele vê Cristo, que não tem pecado. Seu estado pode ser eventualmente ruim, mas a sua posição é eternamente divina. Se isso era verdade na velha aliança, muito mais agora! Uma vez que Deus disse que somos perdoados e justificados em Cristo, isso não pode mais ser revogado. Alguns acreditam que as suas muitas quedas e pecados podem fazer com que a sua posição mude diante de Deus, mas isso é mentira do maligno. O Pai pode discipliná-lo, mas jamais mudará a sua posição de filho (Hb 6.13-20).

 

  1. Não ignore o seu estado

A pergunta que naturalmente vem a nossa mente é: Será que devemos ignorar o nosso estado? Claro que não. Julgue o seu estado com base na sua posição. Porque eu estou próximo de Deus, sou justo aos seus olhos pelo que Cristo fez, porque eu sou altamente favorecido no Amado, eu posso pedir a Deus que me ajude a tratar com esses momentos ruins. Como o meu estado que as vezes não condiz com minha posição! Mas quando nós não entendemos essa verdade, tendemos a julgar a nossa posição pelo nosso estado. Pensamos que a posição depende de nós, e quando nosso estado muda, nós concluímos que a opinião de Deus a nosso respeito mudou também.

Ainda que o seu estado não possa alterar a sua posição diante de Deus, ou seja, a opinião positiva que Ele tem a seu respeito, o seu estado pode mudar a sua posição diante dos homens, o seu testemunho perante as pessoas. Ele pode tirar a sua paz na mente por causa da comunhão com os outros. Pode afetar o seu desfrute das coisas do espírito. Por tudo isso, não ignore o seu estado. Preciso dizer que existem dois tipos de auto avaliação. Existe um tipo que resulta em autocondenação e acusação. Este é o tipo de auto avaliação que procede do diabo. Mas existe uma auto avaliação que é saudável, quando avaliamos nossas ações para fazermos melhor. Podemos andar de modo digno do Evangelho! (Ef 4:1)

 

  1. Reconheça a disciplina de Deus

Agora, se insisto em viver segundo o meu estado ruim, consciente que ele não muda a minha posição, colocando tudo na conta da graça. O que acontecerá comigo? Deus pode me disciplinar quando meu estado for ruim? Sim, claro! Sua posição não muda, Ele vê você como justo, santo e com a sua natureza divina, mas isso não significa que Ele não vai corrigi-lo. Sua disciplina, porém, jamais muda sua posição diante d’Ele. A extensão da correção é na exata medida do seu amor. Se vejo o meu filho, vez após vez, fazendo o mesmo erro e se aquilo pode vir a resultar em grande perda para ele, eu vou corrigi-lo para impedir que ele sofra perda. Quando amamos, nós corrigimos, nunca ignoramos. Deus, porém, não vai corrigi-lo lhe mandando doenças ou dando um acidente de carro. Deus nunca age como um pai abusivo. Mas Ele vai corrigi-lo a maneira Dele. A exposição e vergonha é a maneira usual da disciplina do Pai. Tudo em sua vida deve ser para a glória de Deus, ou seja, tudo na sua vida deve ser uma expressão da boa opinião de Deus. Você deve se preocupar com a opinião de Deus! Mas para isso você precisa ter uma opinião positiva a respeito d’Ele! Senão tiver, inevitavelmente cairá na justiça própria. Ele é o bom Pai! Sempre o bom Pai!

 

  1. Dê glória a Deus

Se glória significa uma opinião positiva a respeito de alguém, que resulta em louvor e honra, então dar glória a Deus significa ter uma opinião positiva a respeito d’Ele.

Romanos 4.20 diz que Abraão – não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus. Isso significa que Abraão tinha uma opinião positiva a respeito de Deus. É esse o significado de ser forte na fé, pois as pessoas que possuem uma fé fortalecida têm uma boa opinião a respeito de Deus. Aquele que prometeu é fiel para cumprir cada uma das suas preciosas promessas na minha vida! Muitas pessoas não têm uma opinião positiva a respeito de Deus, por isso não conseguem ter fé para receber nada d’Ele. Deixe que a glória de Deus encha o seu coração de alegria. Lembre-se sempre, de que nada pode mudar a opinião positiva que Ele tem a seu respeito. Também nunca permita que o diabo lance dúvidas no seu coração a respeito da bondade e do amor de Deus. Tenha também uma opinião positiva a respeito de Deus e você experimentará cada dia mais glória sobre a sua vida.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *