Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus lhes respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência (não será uma coisa que se possa ver). Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós (Lc 17:20-21).

Questionado pelos fariseus sobre a vinda do Reino de Deus, Jesus respondeu: “O Reino de Deus não se baseia no calendário. Nem quando alguém disser: ‘Veja aqui!’, ou: ‘Está lá!’. Sabem por quê? Porque o Reino de Deus já está entre vocês” (A Mensagem).

Sobre o Reino de Deus temos essas duas afirmações, e ambas podem ser verdadeiras segundo os especialistas em N.T.  Ele está em nós, isso é verdade na vida de cada um dos filhos de Deus. Ele está entre vocês, isso é verdade porque nem todos são filhos de Deus. Então, o Reino de Deus está entre homens que não o receberam.

Uma coisa é certa, o Reino de Deus já está aqui. Em nossas vidas isso pode ser visto na forma como vivemos. Pois ter o Reino de Deus dentro nos fala de recebermos a natureza deste Reino dentro de nós. Essa natureza é a mesma de Deus!

Outra coisa muito interessante na resposta de Jesus é que o Reino de Deus não se baseia em calendário – quando viria? Ele não se baseia em calendário humano porque ele sempre existiu e sempre existirá. Mas também, não se manifesta como os reinos deste mundo – Ei-lo aqui! Lá está! Ele está aqui, mas um dia será pleno.

Neste dia o Rei dos reis se manifestará e se assentará em seu trono de glória diante das nações (Mt 25:31-32).

Veja, os fariseus não conseguiam entender e nem perceber como o Reino de Deus se manifestava e expressava. Eles criam que seria de forma natural, mas não é. Então, a pergunta que você pode estar fazendo seja: Como o Reino de Deus se manifesta e expressa?

Vejamos as duas coisas:

1. A Igreja é a manifestação

Porque a Igreja é a manifestação do Reino? Porque Cristo recebeu toda autoridade e passou para a Igreja. Autoridade visa a manifestação do Reino. Nenhum reino é estabelecido sem autoridade.

Cristo reina sobre todos os governos celestiais, autoridades, forças e poderes. Ele tem um título que está acima de todos os títulos das autoridades que existem neste mundo e no mundo que há de vir.

Deus colocou todas as coisas debaixo da autoridade de Cristo e deu Cristo à Igreja como o único Senhor de tudo (Ef 1:21-22 NTLH).

Deus escolheu a Igreja para exercer Sua autoridade manifestando seu Reino. A manifestação da Igreja visa o cumprimento do propósito de Deus desde os dias da eternidade passada.

… e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas, para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais… (Ef 3:9-10).

A Igreja manifesta a multiforme sabedoria de Deus a respeito de todo o desígnio eterno em Cristo Jesus. Estava oculto, mas agora foi a nós confiada a anunciação, até mesmo para que anjos ouçam.

Se nós anunciamos segundo a sabedoria e autoridade que nos foi confiada, então, a Igreja manifesta o Reino de Deus. A Igreja manifesta o Reino fazendo com que o mundo ao seu redor conheça a sabedoria e autoridade do Rei dos reis.

O que é multiforme sabedoria?

A sabedoria é multiforme porque ela é infinitamente vasta, como as possibilidades de cores e tons. Mas o principal aspecto da multiforme sabedoria de Deus é a cruz (1Co 1:18-25).

Para uns ela é loucura e para outros escândalo, mas para nós é poder de Deus. Porque nela Deus prova seu amor. Ele faz isso entregando seu Filho para morrer por nós quando éramos seus inimigos. Você pode dizer que isso não é sabedoria. Mas é!

Por mais estranho que possa parecer a você, para Deus a cruz é a manifestação da sua multiforme sabedoria. Deus nos confunde em nossa loucura, manifestando sua sabedoria. A cruz para mim e você não se parece com sabedoria, mas para Deus sim!

Se você não experimenta o amor de Deus que emana da cruz, provavelmente não conseguirá manifestar a multiforme sabedoria do Reino de Deus, que é amar como Ele te amou!

Pois nunca irá sentir prazer em perder, pois é assim que se ganha! Em entregar, pois é assim que se multiplica! Em morrer, pois é assim que gera vida em outras pessoas!

De qual autoridade Deus está falando? A autoridade que foi conquistada na cruz, Jesus disse: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra (Mt 28:18).

Você só lidera sobre aquilo que tem autoridade. Mas você só tem autoridade sobre aquilo que morreu ou está dispôs a morrer para obter. Se a sua autoridade vem de posição e título, então você só recebeu autoridade de homens.

Mas se sua autoridade provém da cruz que Jesus mandou você tomar, então ela atua na esfera do céu e da terra. Essa autoridade manifesta a multiforme sabedoria de Deus em perder, entregar e morrer. A autoridade que você recebeu de Cristo é para libertar pessoas e promover o avanço do Reino de Deus (Is 61:1-4).

Autoridade é uma unção que você recebe para manifestar o Reino de Deus. Davi foi ungido rei, por isso pôde matar Golias. Como disse a dois domingos, a autoridade que recebemos é para desfazer as obras do diabo.

Quando o Reino de Deus se manifesta o reino das trevas é sucumbido. Você já foi ungido! Não fique esperando algo acontecer para manifestar a autoridade que Cristo de deu. É assim, porque Deus decidiu fazer tudo por meio da Igreja. Você é a Igreja!

2. Os relacionamentos são a expressão

A maneira como relacionamos expressa o reino que servimos. Jesus deseja que relacionemos uns com os outros como Ele relaciona com o Pai e o Espírito Santo. Esse é o tipo de relacionamento que expressa o Reino de Deus. Pois expressa o coração do seu Rei, expresso em sua oração em João 17:21.

A essência do Reino de Deus é o amor. O amor é expresso por meio dos relacionamentos, quando decidimos manifestar Cristo. Você pode não querer, mas em algum momento terá que andar em amor com algum irmão(ã). Isso é um fato! Nessa hora o Reino de Deus se expressa.

Neste ponto é importante você entender que seu Pai, deseja sim, que seu Reino se expanda até os confins da Terra. Não para se ter domínio, isso Ele já tem. Mas para que a maneira como Ele se relaciona com os filhos seja expresso diante dos homens.

E os homens possam reconhecer que Jesus é o Filho enviado de Deus (Atos 2:47).

Uma das maiores perdas depois da queda é que as pessoas ficaram limitadas em sua capacidade de relacionar. Dúvidas, medos e inseguranças dominaram os relacionamentos. Se você carrega isso até hoje, lance fora.

Se arisque a crescer nos relacionamentos, se arrisque a ser aperfeiçoado na unidade. Mas pastor eu já me decepcionei com a Igreja? Não foi com a Igreja (todos os irmãos) querido(a), foi com seus relacionamentos.

Era exatamente nessa hora que você precisava perseverar para ser aperfeiçoado na unidade. Mas você desistiu! Está bem, mas se eu me machucar de novo? Perdoa! Foi por isso que Jesus disse que você deve perdoar 70×7. O que Ele estava te ensinando? Não desista!

Se você se fechar não experimentará um relacionamento segundo o Reino de Deus. Não existe relacionamento forte que não tenha sido provado pelas dificuldades que tiveram que enfrentar. Acabe com a ideia de relacionamentos perfeitos, isso só será possível na glória.

Mas hoje podemos decidir construir relacionamentos fortes. A força deles está em suportar os ventos, tempestades e abalos que juntos teremos que passar.

A fragilidade dos relacionamentos está na indisposição de enfrentar e vencer as dificuldades que sobrevêm a eles. Não pense que a Suely e eu construímos um relacionamento forte sem uma disposição absoluta de não desistir um do outro.

Os conflitos são reais, os testes profundos e a pressão enorme, ao ponto de querermos desistir. Mas quando ela e eu dissemos, não vamos desistir! O céu não ficou omisso, mas nos deu mais graça para prosseguirmos. Isso produziu um ciclo de força em nosso relacionamento.

É de suma importância você entender que relacionamentos são uma ferramenta poderosa para levar os filhos a conformação com Cristo.

Foi pensando nisso que Jesus disse que nós seríamos aperfeiçoados na unidade, ou seja, no andar junto, no estar junto, falando na vida uns dos outros, etc. (Jo 17:23).

Quando você não deseja relacionar com os irmãos(ãs), significa que você não usufruirá do poder de ser aperfeiçoado na unidade. Isso irá limitar a imagem de Jesus em você. Pois é andando junto e relacionando que temos a oportunidade de crescer em tudo (sabedoria, perdão, em ouvir, em falar, etc.).

E a graça de Deus é a chave para não desistirmos, veja o que Paulo disse:

Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor (Hb 12:28).

Você recebeu um Reino que é eternamente inabalável, ou seja, não se estremece por nada.

Mas Paulo aconselha, retenhamos a graça. Porquê? Para nunca esquecer do mandamento de Jesus: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei (Jo 13:34).

Ame os irmãos pela razão mais elevada, você foi amado com muitíssima graça, agora é sua hora de fazer o mesmo com quem não merece. Se isso acontece, servimos a Deus de modo agradável. Com o respeito devido a cada um dos irmãos e temor a Deus, pois Ele está trabalhando em todos nós.

Lembre-se, nós servimos a Deus, servindo os irmãos. A graça nos leva a aceitarmos nossas diferenças sem peso e nem cobranças. Não tente fazer ninguém ser como você é. O único que pode e está fazendo isso, é Cristo.

Todavia, isso jamais irá anular sua singularidade. Se você relaciona com liberdade e alegria em ser você, sem medo de ser censurado, este é o ambiente dos relacionamentos do Reino de Deus.

Categorias: Mensagem