Saber quem você é em grande parte define suas ações. Infelizmente ainda há filhos de Deus que não sabem que são e por isso vivem como leprosos.

Isso acontece porque eles desconhecem sua verdadeira identidade. Eles se definem por meio do seu comportamento.

Normalmente eles dizem para si mesmo: Se eu fosse filho de Deus não faria isso! Se eu fosse filho de Deus isso não estaria acontecendo comigo!

Eles vivem olhando para o seu estado natural, e assim, nunca conseguem viver o seu destino. Não conseguem ser usados por Deus.

Gostaria de compartilhar um fato do V.T. e mostrar o poder que há quando tiramos nossos olhos de nós mesmo e olhamos para quem de fato somos, filhos de Deus.

Só podemos ser uma igreja relevante nesta geração se soubermos quem somos. A sua identidade é a sua maior arma, mas não esqueça que ela foi um presente da obra do Calvário.

Esse é um dos mais interessantes relato da Palavra de Deus (explicar o contexto 1Rs 6:24-33 e 7:1-3). Em 24 horas Deus livrou o seu povo do caos e os conduziu a abundância. Nosso Deus trabalha ativamente para trazer de volta para si os seus filhos.

Sua graça é infinita, mas ela não trabalha sozinha. Ela usa pessoas como você! Dentro de sua maravilhosa graça todos podem ser usados.

A lepra no A.T. é um tipo de pecado. Um leproso era alguém que vivia sem esperança e utilidade, pois vivia afastado de todos. Essa era sua identidade. A grande verdade é: não há ninguém que não possa ser usado por Deus. Porém, para tal é necessário fé. Os leprosos disseram: Para que estaremos nós aqui sentados até morrermos? (v.3)

Isso é um fato, todos morreremos. Então precisamos dar sentido a nossa vida! Para isso é importante entender que a fé demanda ação, e os quatro leprosos agiram.

O que eles ainda não sabiam é que, a fé que tiveram para si poderia salvar uma cidade inteira.

Eles mostram como é simples ser usado por Deus, veja o que disseram:

a) Não temos nada a perder, só a ganhar – v.4

Em outras palavras, não temos nada a perder, porque de qualquer maneira somos leprosos e morreremos! Os leprosos não atribuíram valor demasiado a esta vida e reconheceram quem eles eram, mas deram um passo de fé sem mesmo entender as implicações! Você não tem nada a perder pregando o Evangelho, só a ganhar!

Deus quer usar você para trazer grande salvação, mas não valorize esta vida mais do que ela valha.

b) Creia e aja – v.5-6

Veja, aquilo que parecia tão impossível naquele dia, foi algo tão fácil para o Senhor. Quando os leprosos caminhavam para o acampamento, os Sírios pensavam estar vindo sobre eles um grande e poderoso exército, mas era apenas quatro leprosos! É muito importante você não limitar a Deus. Se há fé, Deus faz o restante.

c) Não podemos nos calar – v.9a

O sol se pôs no dia anterior sobre um dia de completa escassez sobre Samaria. Mas o sol nasceria num dos dias de maiores bênçãos de sua história. Tudo porque quatro leprosos creram e agiram! A abundância que Samaria encontrou é o resultado da fé no Evangelho. Não fazemos bem se nos calarmos.

d) Não podemos esperar, é urgente – v.9b

Não podemos também deixar para depois, colocando essa responsabilidade que é nossa na conta da próxima geração. Porque os leprosos agiram assim?

1. Eles entenderam que seu destino era maior do que a sua condição

Aqueles leprosos, antes pobres mas agora ricos, tiveram um estalo em sua consciência. Eles disseram: Não fazemos bem, este dia é dia de boas novas.

Por mais que fossem leprosos, eles entenderam que eram os canais de Deus para abençoar aquela cidade. É importante você entender que o seu destino está relacionado a quem você é! Quando você entende quem é, viver para o seu destino se torna um prazer.

Paulo diz em Efésios Ef 1:4-6a, que você é filho de Deus, escolhido em amor, predestinado para Ele, comprado pelo precioso sangue de Jesus e isso, segundo o PRAZER DA VONTADE DO PAI.

Ele tem prazer em você, essa verdade te leva a viver segundo esse prazer. Mas para vivermos o nosso destino precisamos tirar os olhos de quem nós éramos, leprosos!

2. O que receberam não tinha o fim neles mesmos

Aqueles leprosos tinham acabado de tornar-se financeiramente independentes.

Agora, eles tinham um suprimento para a vida inteira de tudo quanto poderiam precisar. Eles poderiam ter guardado toda aquela riqueza, mas não guardaram.

Eles usaram grande parte daquele dinheiro para manifestar a graça de Deus àquela cidade. Eles entenderam que as bênçãos que receberam não visava eles apenas, mas o avanço do reino de Deus.

O nosso dinheiro precisa ser um instrumento para a manifestação da graça de Deus a muitas cidades desta geração.

Não adianta sermos abençoados e ainda vivermos na identidade de leprosos – medo, insegurança e incertezas.

A benção visa te mostrar a graça do seu Pai, mas acima de tudo a sua identidade, você é o herdeiro do mundo! Então, a bênção te persegue e te alcança!

Agora, ao entender isso, você precisa fazer com que sua riqueza siga sua identidade. Aqueles leprosos seguiram a identidade que tinham em Deus sem perceber.

Nós temos clareza de quem somos! Então, generosidade não deve ser um esforço, mas uma ação da nossa identidade.

3. Eles amaram aquela cidade que os excluía

Eles estavam do lado de fora porque eram rejeitados por serem leprosos. Se tinha uma hora para vingança era agora, mas eles não agiram assim! Antes, amaram aqueles que os rejeitavam e os excluíam.

Eles sabiam que se não fizessem nada, toda a cidade pereceria. Preste atenção, o novo coração que você recebeu na sua conversão te deu a capacidade de vencer o desejo de punir, o ódio, a mágoa, etc.

Seu Pai deu a você um coração igual ao Dele para você amar como Ele ama. Ter revelação desta verdade, te liberta de todos esses sentimentos ruins e destrutivos. Você pode e consegue ser um canal do amor de Deus. Isso precisa ser celebrado com alegria!

Isso porque, amar como Deus ama não doí!

Conclusão

Deus está levantando um exército não com espadas nas mãos, mas com um coração apaixonado por essa geração!

Um exército que não aponta a arma da acusação, mas que aponta para os desalentados e sem esperança a arma que destruiu a acusação, a CRUZ! Um exército que não luta, mas abraça o perdido! Um exército que não tem soldados, mas filhos a imagem do Pai!

Como eu disse não há nada mais poderoso quando tiramos nossos olhos de nós mesmo e olhamos para quem de fato somos, filhos de Deus.

 

Categorias: Mensagem